Institucional

outubroRosa

Postado em: 22.10.2015

O câncer de mama é uma doença séria e muitas vezes é necessário, durante o tratamento, que se faça uma cirurgia chamada mastectomia. Essa cirurgia consiste na retirada de um pedaço ou até mesmo todo o seio da paciente para eliminar o câncer.

Em decorrência dessa cirurgia, muitas mulheres ficam com cicatrizes grandes e até mesmo sem o mamilo no seio afetado. O fato de ficar com o corpo marcado para sempre faz com que a auto estima dessas mulheres muitas vezes seja prejudicada e abalada.

Como forma de resgatar a autoestima e o amor próprio de mulheres mastectomizadas, alguns tatuadores resolveram colocar a sua arte à disposição.  É o caso do brasileiro Miro Dantas, que tatua o mamilo e a aréola no seio reconstruído, buscando a maior semelhança possível com o seio da própria paciente. As sessões são gratuitas e acontecem algumas vezes no mês, mas já contam com uma longa fila de espera. Confira mais no site: mirodantas.com

Nos Estados Unidos, um coletivo de artistas se uniu com a mesma proposta: ajudar a recuperar o amor de mulheres mastectomizadas pelo próprio corpo. Diferente do projeto brasileiro, a ideia é considerar o seio como uma tela em branco, pronta para receber desenhos que contem a história e se relacionem com a personalidade de quem os recebe. O P.Ink  é uma plataforma que une os artistas às mulheres que tem interesse no projeto, com ideias, motivação e contatos para divulgar a ação.

Gestos como esse representam bem o espírito do Outubro Rosa, onde pessoas se reúnem para fazer o bem, conscientizar e ajudar a vida de quem foi vítima do câncer de mama.

Comentar